Caso Clínico: OSTEOPATIA E DEPRESSÃO
1

1

O que é Depressão?

Trata-se de um distúrbio afetivo que gera perda de interesse generalizado, falta de ânimo, sensação de tristeza profunda, perda de apetite e oscilações de humor. É algo que ocorre com muita frequência, dados demonstram que uma em cada quatro mulheres e, um em cada dez homens podem passar por um quadro depressivo desde a vida adulta até a terceira idade, além de que crianças cada vez mais estão sendo afetadas por tal síndrome.

Não se tem uma causa específica definida para desencadear uma crise depressiva, alguns fatores podem influenciar tal acontecimento. Geralmente acontecimentos traumáticos, problemas familiares, stress diário, estão relacionados ao aparecimento das crises.

O tratamento utilizado habitualmente depende do levantamento das causas envolvidas, geralmente são utilizados medicamentos antidepressivos, associados muitas vezes com reeducação alimentar e acompanhamento psicológico.

É fato que alterações psicológicas repercutem de forma direta no corpo, do mesmo modo, alterações corpóreas podem influenciar fatores psicológicos. Estudos mostram que a má postura pode influenciar de forma negativa no humor do indivíduo, tornando-o descontente mesmo sem um fator externo.

Indivíduos com depressão habitualmente são pessoas classificadas como introvertidas, onde as alterações psicológicas levam a alterações posturais específicas, tais como o aumento da cifose torácica, enrolamento anterior dos ombros, entre outros. Tal acontecimento pode acarretar em sintomas musculoesqueléticos, potencializando todo o quadro depressivo.

A osteopatia pode atuar buscando disfunções físicas e funcionais, sendo elas no sistema musculoesquelético, visceral ou craniano, atuando sobre elas e dessa forma permitindo uma melhor função global do corpo do paciente, promovendo melhora dos sintomas e consequentemente da qualidade de vida.

Caso Clínico

Paciente, 19 anos, apresenta como queixa principal dores em todos os níveis da coluna, a mesma relaciona o sintoma com seu quadro atual de depressão.

Há dois meses iniciou o uso de medicações psicotrópicas. Relata também muito cansaço, má digestão alimentar e refluxo nas últimas semanas.

Durante a avaliação osteopática foram encontradas restrições no omento menor (ocasionando tensão para fígado e estômago) e também bloqueios importantes na região lombosacra e base do crânio.

2 3 4

 

Tratamento:

  • Técnicas viscerais para motilidade de fígado;
  • Técnicas de liberação craniana;
  • Técnicas para região pélvica (evidenciando bastantes sinais de liberação);

65 7

(Imagens demonstrativas das técnicas*)

Paciente retornou para a segunda sessão após 15 dias relatando remissão total de seus sintomas na região da coluna e grande melhora em sua disposição geral durante o dia.

Durante o segundo atendimento foram realizados técnicas para liberação e equilíbrio de neuromeninge em todo tubo dural e suas zonas de restrição (base craniana – sacro).

8

(Imagem demonstrativa da técnica*)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.